Twitter Facebook YouTube

CUT MG > LISTAR NOTÍCIAS > NA MÍDIA > EM GREVE, SERVIDORAS E SERVIDORES DA FUNED ACAMPAM NA ALMG PARA PEDIR APOIO DE DEPUTADOS

Em greve, servidoras e servidores da Funed acampam na ALMG para pedir apoio de deputados

19/05/2016

Essa foi a forma encontrada pelos trabalhadores para exigir a redução da carga horária de trabalho e pedir a reformulação da promoção dos servidores

Escrito por: O Tempo

Os trabalhadores da Fundação Ezequiel Dias (Funed) acamparam na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) para pedir que a Comissão de Saúde da Casa interceda por eles junto ao governo do Estado. Em greve há 24 dias, a ocupação, que conta com a presença de 14 servidores, foi a forma encontrada pelos trabalhadores para exigir a redução da carga horária de trabalho e pedir a reformulação da promoção dos servidores.
 
Os servidores da Funed afirmam já ter entrado em contato com a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e repassado uma pauta de reivindicações, mas que não foi atendida.
 
O Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG) informou que a Seplag apresentou uma carta de intenção para os servidores, mas que ela não garantia nenhuma ação. Isso porque o governo estaria impossibilitado de se comprometer financeiramente até setembro por causar da Lei de Responsabilidade Fiscal , que delimita a verba utilizada pelo Estado.
 
"A categoria chegou a propor a redução de 40 para 35 horas semanais da jornada de trabalho. Mas a proposta não foi aceita", afirmou o diretor do sindicato, Renato Barros.
 
Também teria sido apresentado pelo sindicato uma proposta de modificação na forma de promoção dos servidores. "Nós estamos propondo que os trabalhadores que subiram de cargo pela primeira vez, nos anos 2007, 2008, e 2009, fossem promovidos em 2017,2018 e 2019. Mas o governo também ignorou essa proposta, o que instigou a manutenção da greve", alegou o diretor.
 
Sem um acordo entre ambas as partes, o sindicato afirma que quase 100% dos funcionários da Funed aderiram À paralisação. Além de interromper a análise de casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya, a greve também paralisou a fabricação de soros, como o antiofídico.
 
A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão foi procurada pela reportagem e se comprometeu em se posicionar sobre o assunto.
 
Reuniões
 
Na manhã desta quinta, representantes do sindicato e da Seplag se encontram para tratar da greve dos servidores. Já no período da tarde, os trabalhadores se encontrarão com deputados estaduais. 
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

RÁDIO CUT

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE MINAS GERAIS
Rua Curitiba, 786, 2º andar | Centro | CEP 30170-120 | Belo Horizonte | MG
Fone: (55 31) 2102.1900 / 1916 | www.cutmg.org.br | e-mail: [email protected]